Natal(RN), 03 de julho de 1914.

Meu amor,

Amor da minha vida. Amor só meu. Amor que trago no peito. Amor que me alimenta. Amor que me perfuma. Amor que me faz sonhar com anjos. Amor só meu…só meu.

E porque hoje, meu amor, é seu aniversário eu venho alegremente escrever-lhe esta carta com palavras tolas, palavras magrinhas, palavras curtinhas, palavras baixinhas, palavras que vão dizer tudo o que sinto sem esse meu jeito de complicar as coisas que escrevo.

Senti saudades de acordar ao seu lado hoje. Como foram belos os aniversários em que passamos juntos. Eu e você, a natureza, nosso amor e nada mais. As pessoas? Que importava as pessoas se nós tínhamos um ao outro.

Não sei se você ainda tem aquela caixinha onde guardava as minhas lembranças, mas se tiver gostaria que colocasse dentro dela hoje o cheiro do bolo de chocolate que acabei de fazer. Vou comê-lo sozinha. Comemorar seu aniversário. Fazer de conta que você está aqui, ao meu lado. Fazer de conta que danço valsa com você. Fazer de conta que sinto o seu perfume. Fazer de conta que a nossa história nunca acabou. Depois vou lavar a louça pensando nas suas palavras lindas: minha Rosinha. Era assim que você me chamava. Mas a sua Rosinha vive hoje sozinha. Você sequer me dá notícias. E eu nessa casinha de pedra escuto apenas o murmuro do vento a rir das minhas fantasias.

Seja feliz, meu amor. Amor que um dia mimei. Você foi como um relâmpago em minha vida. Nossos dias estão guardados naquele barquinho de papel que no ano novo largamos no mar com os nossos pedidos. Barquinho de papel que carregou você para bem longe de mim. Terá sido esse seu pedido? Eu nem preciso dizer o meu. Eu só queria que Deus nunca tirasse você de mim. Mas o destino foi cruel comigo. No meu primeiro vacilo você partiu. Como uma pluma foi levado pelo vento para os braços de outras.

Estou aqui, meu amor. Sozinha. Na nossa casa. Olhando tudo o que era seu. Olhando para dentro de mim. Não me acho mais. Perdi-me diante da saudade que maltrata feito agulha furando o coração.

Feliz aniversário, meu amor! Vou tomar uma xícara de chá para esquecer essa saudade. Seja feliz, meu amor. Vou beber-lhe. Embriagar-me de você.

Abraços,

Da sua Danda.