Era uma vez um menino que gostava de apontar para as coisas. Tudo o que via, ao longe, ele apontava com o dedinho. Mas mesmo de perto ele costumava apontar, também. Apontava para a menina do laço de fita, para o menino do carrinho, para a montanha, para os cisnes no lago e até mesmo para os erros das pessoas.

Esse menino que gostava de apontar para as coisas só não apontava o dedo para si, esquecendo que nele tinham muitas coisas que mereciam observações. Costumava olhar os outros, mas nunca olhava para si. Costumava criticar os outros, mas nunca se criticava.

Havia quem não gostasse de ter os seus erros apontados pelo menino e reclamava do jeito dele, e havia aqueles que nem ligavam e seguiam em frente sem reclamações. Porém, alguns achavam chato ver o dedo do menino apontado para os seus rostos, pernas, barrigas, nariz, boca, etc. Apontar os erros dos outros parece ser muito fácil, difícil é olhar para si mesmo, diziam os mais velhos.

Exercícios para o bom pensar.

1 – O que é apontar?
2 – Por que costumamos apontar?
3 – Por que apontamos sempre para os outros?
4 – Por que dificilmente apontamos para nós?
5 – Por que as pessoas não gostam de serem apontadas?

Desenhe você apontando para os seus erros.